IMG_6883

 

Essa semana a nossa Dressy completa dois anos. E a gente fala assim mesmo como se fosse uma filha. Porque olha, dá trabalho. E pede por tanta atenção quanto uma criança nos seus primeiros anos de vida.

E você que nos acompanha talvez não perceba… Mas a gente coloca um pouco de toda a nossa dedicação diariamente por aqui, e por isso conseguimos ver claramente como amadurecemos – como marca e empreendedoras.

E aí você pode nos perguntar: “como assim amadurecer como marca?”

Bom, quando criamos a Dressy contamos com uma agência de branding, a Move Design, acredito inclusive que já falamos sobre isso por aqui no blog em algum momento.

E durante o processo de branding são desenvolvidas diversas questões sobre a marca. Inclusive uma persona, que é o que representa o nosso público alvo, e nisso a gente define diversos atributos, inclusive gostos pessoais.

E o que a gente quis dizer com amadurecer tem um pouco a ver com isso… Porque nem sempre o empresário vai aplicar tudo 100% logo de início. A gente vai junto, com o crescimento do negócio, aprendendo quem realmente é a dressy.

Ao longo desses dois anos a gente já tomou muitas decisões precipitadas e até erradas.

Já fizemos fotos que não tinham nada a ver com o universo da marca. Já compramos mais mercadoria do que devíamos. Já compramos roupas que não tinham o nosso estilo – e aqui fica muito claro, porque por mais incrível que pareça, elas acabam não vendendo. Já fechamos parcerias que não faziam sentido…

E por aí vai. O aprendizado de empreender é diário.

E o problema não é nem errar, isso é natural sabe. Seria errado se não aprendessemos com o erro.

Por isso nesses dois anos estamos tão felizes, e vamos nos permitir comemorar um pouco. Por todos os erros ao longo desses tempo, mas mais ainda, por contabilizarmos muito mais os acertos.

Estamos aqui muito ansiosas pelos próximos muitos erros e acertos que essa aventura que é empreender nos reserva.

E claro, que sempre vamos continuar compartilhando tudo com você. <3

Mil beijos,

Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 1 min
Destacada

A Dressy, como você deve saber, é uma loja conceito de roupas femininas… Mas quando a criamos, desde o início queríamos realizar ações diferentes. Tudo que fazemos através das nossas redes sociais e blog, vai um pouco ao encontro disso. Mas não era suficiente…

Foi então que no mês de abril, que elegemos como homenagem ao mood #work, surgiu a ideia de promover um evento. E evento por evento, através da loja nós já realizamos vários, mas todos tinham o intuito de gerar vendas. E já faz um tempo que percebemos que para engajar o público de verdade é necessário produzir conteúdo relevante e algo que acrescente aos mesmos. Logo, no nosso #dressytalks, a gente reuniu algumas empresárias da cidade, jovens como a gente, e com histórias bem diversas, para fazer um bate-papo contando as delícias e os desafios de empreender.

Essa roda de conversa foi mediada pela queridíssima Laura Coutinho, e contou conosco da Dressy; com a Aiani Silva, fundadora da AIA – Aluguel de Vestidos; com a Déborah Viegas, proprietária da Quote, Balls e Dot Clothing; também com a Julia Baruffi sócia da Laci Baruffi; com a Moniky Bittencourt fundadora da Check-in 4 wine; e com a Priscila Prudêncio idealizadora do Saboreando por Aí. E se você pesquisar as empresas, vai perceber que não ficamos presas ao universo da moda na hora da escolha das nossas convidadas, o que deixou o papo ainda mais rico.

O evento rolou no coworking A Fábrica Working Bar, e não teria lugar mais perfeito. Afinal, o bate papo rolou no espaço mais sério do segundo andar, e depois descemos para o bar, afinal precisávamos de um momento de descontração e networking. Olha só um pouquinho de como foi:

mmm

Reunimos mais de 60 meninas na platéia, e foi lindo de ver tanta gente disposta em aproveitar uma noite depois do trabalho para se desenvolver e ouvir as nossas histórias. Olha só algumas fotos:

Foto 1

Nossa já parceira Vanessa Lemos, foi lá para se inspirar e levar ideias novas para o seu negócio, que ela acabou de abrir – a Blessy.

2

A Fábrica Working Bar lotada, e rolando a maior interação entre as participantes 🙂

3

Pensamos em todos os detalhes <3

Foto 4

A nossa amiga e convidada Julia Baruffi contando um pouquinho da sua grande experiência inovando dentro do negócio que foi criado pelos seus pais, a Laci Baruffi.

5

A linda e inspiradora Déborah Viegas contando um pouco de como surgiu cada uma das suas três marcas, e como é sua rotina para manter tudo isso funcionando.

As marcas são a Quote Clothing, a Store Dot e Balls.

Foto 6

E aqui a super elegante Aiani Silva, fundadora da AIA Aluguel de Vestidos, empresa que é mais a sua cara impossível e que super inovou dentro do ramo de vestidos de festa.

Foto 7

A Moniky Bittencourt, empolgadíssima contando como vem sendo o início do caminho da Check in 4 Wine.

8

A super querida Priscila Prudêncio contando um pouco de como foi toda a evolução do Saboreando Por Aí.

Foto 9

E claro a gente, com os dois looks total Dressy. E se você observar bem vai ver que estamos as duas com a nossa camisa #work, que te apresentamos nesse post, e usamos de duas maneiras bem diferentes, inclusive 🙂

10

Claro que depois do bate-papo tivemos que ter uma bebidinha, os espumantes foram fornecidos pela Moniky, do Check in 4 Wine, e ficaram lindos bem personalizados.

11

E com essa mulherada toda presente não podiam faltar alguns doces, e com isso estávamos bem preparadas: contamos com as pipocas da It’s Popi Gourmet, com os mini cupcakes da Luiza Goedert Doces Caseiros e com os cookies recheados da Moonkies.

A gente ainda não consegue explicar o tanto que foi especial realizar esse evento, mas principalmente ver tanta gente saindo de lá com os olhinhos brilhando e com vontade de fazer acontecer. Isso que foi o mais importante, e por aqui queremos sempre inspirar você a ser melhor.

Ficou com vontade de ver mais fotos? Corre para esse álbum na nossa página do facebook para ver todas.

E se por um acaso você não pôde ir, e ficou com vontade, é só continuar nos acompanhando, que com certeza esse foi o primeiro #dressytalks de muitos que ainda virão.

Mil beijos,

Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 3 min
IMG_3546

Quarto mês do ano começando, e a gente pensa: “caramba, já?”

Pois é, cada vez o tempo passa mais rápido. E agora começamos praticamente o primeiro mês do ano sem nenhum feriado no meio da semana, e muito menos feriadões. Será que “agora vai”? Bom, por aqui achamos que não pode passar muito de agora para colocar todas aquelas metas no papel e começar a agir, que logo mais logo menos estaremos chegando no Natal (bem exageradas!).

E como você bem sabe todos os temas que envolvem trabalho, nos fascinam… Afinal, assim como a maioria de vocês que nos acompanham por aqui, estamos nessa fase da vida onde o trabalho consome boa parte do nosso tempo – se não toda. E por isso, ele não pode se tornar uma tortura diária.

E talvez ao ler isso, você pense: “poxa, hoje eu não amo o meu trabalho tanto assim…”. E tudo bem, sabe porque? Tem dias que a gente também não, a verdade é que em todo e qualquer trabalho vai ter atividades e alguns aspectos que não irão nos agradar. Mas o segredo é que as coisas boas sejam superiores àquelas não tão agradáveis assim.

Olha só, como começar a mudar isso:

1 – Conheça o seu porquê:

Hoje em dia não é mais suficiente “só ter um trabalho”, é preciso saber como essa nova função se encaixa no seu propósito. “Com o que você mais se importa? Por que você está aqui? Como o seu trabalho se relaciona com a sua missão?” São algumas das perguntas a serem respondidas, e garantimos que se você tirar um tempo para pensar nisso com carinho, vai ser muito mais fácil de ter certeza que está aproveitando seus dias com projetos do seu interesse, e até, onde você quer levar a sua carreira no futuro.

2 – Foco nas coisas boas:

Acha que o trabalho não está bacana? Então, foco no que é bom, isso vai te dar força para aguentar o resto. Sejam os colegas de trabalho, os benefícios, ou as oportunidades de desenvolvimento… Não importa, ficar pensando no que não é bom não leva ninguém a lugar nenhum, a não ser que seja para pensar em algo para mudar a situação 😉

3 – Faça alguma mudança, mesmo que pequena:

Tédio, é uma das grandes causas de infelicidade no trabalho. Portanto, tome um pequeno passo para mudar o que está te puxando para baixo. O desafio aqui é olhar para alguma área ou função, que iriam te deixar mais feliz por ali. E pensa com a gente, se você começar a trazer valor e bons resultados, provavelmente seu chefe vai notar e recompensar por isso – tá aqui o porquê é importante ter os seus objetivos e vontades muito claros.

Será que começando com essas dicas a nossa perspectiva não muda? Vai ser mais ou menos essa a vibe do mês de abril. E por conta de o trabalho e o amor por ele, serem algo tão importantes na nossa vida, que quando estávamos realizando o nosso planejamento anual, decidimos que não teria mês melhor para eleger como o mês do mood #work.

Logo, durante esses 30 dias queremos trazer para você peças que carregam conforto e praticidade no seu dia a dia de trabalho, mais dicas ainda de produtividade, conteúdos diferentes e tudo mais que vier a nossa cabeça sobre o assunto. Já tá curiosa?

Então não deixa de acompanhar tudo, por aqui, no nosso Instagram e no nosso Facebook. E se tiver dicas, fique à vontade, amamos receber as sugestões de vocês e sempre fazemos de tudo para colocar em prática.

Mil beijos,

Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 3 min
DESTACADA

Esse provavelmente vai ser o post escrito com maior felicidade por aqui. É, 2017 foi um ano e tanto para a Dressy (e ainda temos um restinho dele, hein!).

Lá em janeiro passamos quase o mês inteiro fazendo mil e um planejamentos para o ano que estava começando. Levantamos diversas ideias de ações, eventos, parcerias… e claro, muitas metas! E uma delas era conseguir montar o nosso cantinho. Quando colocamos isso como objetivo, pensamos durante muito tempo se seria alcançável, mas mesmo na dúvida, decidimos manter.

Sabe, por aqui acreditamos em sempre dar pequenos passos com muita cautela, por isso optamos pela sala comercial e não por uma loja de rua. Claro que ter uma loja é um sonho nosso e já temos ela inteirinha na nossa imaginação. Mas a operação se tornaria muito mais complexa e maior do que conseguiríamos manter no momento. Então, passamos boa parte desse ano pesquisando e visitando diversos espaços pela cidade… E como é engraçado, a sala que escolhemos surgiu sem muita pesquisa, através de uma conversa entre amigos.

Ela apareceu assim na localização que sempre sonhávamos: pertinho do Shopping Beira Mar, e mais ainda, da maioria das nossas clientes… Ou seja, não tínhamos como não fechar!

Isso tudo nos fez pensar: como temos essa mania de achar que não vai dar certo, né? E como acaba nos atrapalhando no meio do caminho. Montar o nosso cantinho foi muito corrido – quem é que acompanhou a gente nos stories do Instagram por aí? Mas todo o processo foi lindo e nós não poderíamos estar mais felizes! Em ver como a Dressy cresceu, com as pessoas que continuam – e que nunca saiam! – do nosso lado, e com tudo aqui – no seu devido espaço, que diríamos já virou quase a nossa segunda casa – ou seria a primeira?

Uma cliente nos mandou esses dias que as definições de girlpower foram atualizadas com tudo que a gente colocou a mão na massa na sala. E é claro que a gente adorou o elogio. Olha só:

POST

Queremos que você que está olhando esse monte de foto use-as como inspiração nesse final de ano para listar todos os objetivos de 2018. E não fica com medo ao fazer isso hein? Os nossos já podemos te adiantar, são muitos!

Ainda vamos fazer um post mostrando todos os detalhes do nosso espaço, mas se você já ficou com aquela curiosidade.. é só vir nos visitar! Afinal, estaremos sempre de portas abertas!

Nosso endereço é: Rua Alves de Brito, 141 – sala 505, e o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira das 10h às 19h e aos sábados das 10h às 14h.

Vamos adorar ver você por aqui!

Mil beijos,

Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 2 min
lalala certo 2

Se eu pudesse dizer somente uma coisa sobre empreender eu acredito que essa seria a frase escolhida. É preciso força, paciência e muita maturidade para criar e gerenciar uma empresa, e infelizmente ou felizmente, certas características a gente só adquire com o tempo. Talvez seja isso que torne todo o processo ainda mais enriquecedor.

A Dressy existe há um pouco mais de um ano, e olha, faltaria linhas para listar o tanto que eu cresci nesse pouco tempo. E em clima de final de domingo, nada melhor do que se inspirar com os aprendizados, não é mesmo? Então, olha só:

Segurar a barra

Pedidos que não chegam, planos que dão completamente errados, falta de tempo, problemas no site… A lista é longa, e em meio de tudo, tem que saber segurar a barra e pensar em alternativas para aquilo que não saiu como desejávamos.

Não dar piti

Em frente a clientes, parceiros e até sociedade é preciso respirar fundo para o clima não afetar o resto das atividades – e principalmente, a imagem da empresa. Sempre com uma dose a mais de paciência… O que é na maioria das vezes, um grande desafio.

Dramatizar

Está aí algo que é um pouco difícil… Não sei se sou só eu que tenho essa impressão, mas sabe aquela reunião entre amigos? Para mim parece que é sempre uma competição de quem está trabalhando mais, ou de quem está com um desafio maior no momento. A verdade é que todo trabalho tem sua dose de dificuldade e de alegria. E sem dramatizar e encarando tudo sem reclamar, com certeza fica muito mais fácil!

Deixar para depois

Aqui somos só em duas, e com uma lista gigantes de atividades. Quando deixamos um pouquinho para depois, tudo já se torna uma bola de neve. Logo, pró atividade e animação é essencial para resolver tudo que precisa ser solucionado.

Encontrar um equilíbrio

Esse é algo que eu venho ainda lutando muito para encontrar – e durante quase todo esse primeiro ano deixei muito de lado. Mas a verdade é que em nenhum trabalho ninguém funciona sem dormir bem, sem uma boa alimentação, sem exercícios para espairecer e sem momentos de lazer. As tarefas sempre serão urgentes, mas nada é tão importante que não possa esperar só um pouquinho mais. É essencial ter momentos ao longo do dia com atividades que tirem a cabeça do negócio… Digo mais, é importante inclusive para o negócio, pois muitas vezes é nesses momentos que surgem as melhores ideias.

Eterno sentimento de culpa

Muitas vezes nos pegamos pedindo uma série de desculpas: desculpa pelo atraso, desculpa por não ter feito tal atividade, desculpa por ficar doente (sim, até por isso!)… e assim por diante. Cada um tem seu tempo e nunca vamos dar conta de tudo, e tudo bem. Lidar com a rotina de uma forma mais leve farão as coisas aos poucos irem acontecendo, pelo menos por aqui está sendo assim. O estresse só nos faz ficar atrapalhadas e deixa ambas muito ansiosas. Quando estamos assim é hora de respirar fundo, voltar no planejamento e ver tudo que precisa ser feito… só de organizar um schedule o coração já fica muito mais calmo e percebe que não é tão difícil assim.

É claro que em meio a tudo isso existem os momentos cheios de romance, criatividade e muita, muita empolgação e felicidade… Mas o backstage é uma loucura, o dia a dia é uma loucura. Listar aprendizados na minha opinião parece até um pouco “intrometida” da minha parte… Afinal, tenho tão pouca experiência em comparação com outras pessoas. Mas acho que tudo é válido, se alguém ao ler esse texto já se sentir um pouco mais motivada (o) a começar a semana amanhã, eu já vou estar bem feliz.

Não tenho dúvidas que eu ainda tenho uma infinidade de experiências a viver, e em meio a uma lista infinita de coisas para fazer, milhões de coisas a aprender. Ainda bem que desde pequeninha eu gosto é de emoção. E o melhor ainda, encontrei alguém que o olho brilha cada vez mais a cada conquista nossa.

Não esqueçam que a gente é do tamanho dos nossos sonhos!

Boa semana para vocês.

Mil beijos,

Fê.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 3 min
Arquivo 10-03-17 18 42 05

Hoje a Dressy faz seis meses, e para sermos bem sinceras não foi um dos melhores dias. Mas agora aqui parando para escrever esse texto nos lembramos que há poucos meses atrás ninguém andava com peças nossas por aí. E só isso já um motivo para deixar esse dia um pouco mais feliz. Sabe, empreender é assim, tem que comemorar cada tijolinho colocado na construção do sonho. Esse é o segredo para aguentar a construção.

Afinal, cada dia tem os seus desafios, as suas descobertas e todos os seus aprendizados. A cada dia de trabalho a gente aprende um pouquinho mais do que queremos mostrar e ser através da Dressy. A cada venda a gente conhece mais as nossas clientes e chegamos mais perto do nosso propósito. A cada post a gente mostra como a moda pode ser descomplicada e deixar a rotina de muitas mulheres por aí mais bonita. A cada seguidor novo a gente fica feliz. E a cada elogio a gente fica orgulhosa – e com mais vontade ainda de ser sempre melhor.

É engraçado pensar que há pouco tempo atrás estávamos recém formadas, com aquela insegurança e ansiedade que tomam conta, com aquela vontade de ter tudo resolvido antes do tempo. Lá, achávamos que assim que abríssemos a empresa estaria tudo resolvido. Como estávamos enganadas, e te contamos isso com um sorriso no rosto, já que era apenas o começo…

Esses dias estávamos organizando diversos documentos e arquivos da empresa, esses mesmos de quando nem tínhamos lançado a Dressy ainda, quando estávamos apenas desenvolvendo o nosso Plano de Negócios. E foi uma atividade para lá de interessante e que rendeu boas risadas, lá estavam metas inalcançáveis – nós e a nossa mania de ficar ficar sonhando acordadas. Ideias de posts que ainda não foram escritos. Contatos e mais contatos de fornecedores e muitas ideias para campanhas. E aí que está o lado bom de escrever e documentar tudo… Primeiro, é impossível lembrar de tudo. E mais ainda, relembrar o que você esqueceu, ao ler as anotações, você acaba tendo uma outra percepção do que foi escrito.

É, empreender é para os fortes e essa é a mais pura verdade. É preciso força, paciência e muita maturidade para criar e gerenciar uma empresa, e certas características a gente só adquire com o tempo. E podemos dizer com segurança e sem vergonha nenhuma, que algumas nós ainda estamos longe de adquirir.  A gente passa a maior parte do tempo resolvendo problemas: mas isso faz parte e sempre vai fazer. Certos trabalhos não exigem que a sua vida pessoal seja envolvida: você cumpre o que precisa e quando sai do ambiente profissional vive em um mundo diferente. Com empreendedorismo não é assim, tudo gira ao redor da empresa e não pensar na mesma é um dos maiores desafios. Portanto, somos gratas as pessoas que ficaram do nosso lado, e que principalmente, aguentam as conversas intermináveis sobre a loja.

E com tudo isso a gente chega a uma conclusão…  Aquele medo lá do início que mais parecia um bicho de sete cabeças, não parece, mas ele vai indo embora aos pouquinhos. A insegurança vai acabando. E a preocupação vai sendo trocada por realização. Ver que somos capazes é a melhor recompensa, por mais que muitas coisas não saiam como a gente quer. Começar, com certeza não foi fácil, mas é lindo ver a evolução quando olhamos para trás.

Por isso hoje agradecemos também a você, que está sempre por aqui. Nós já estamos sonhando com o que está por vir, mas mais ainda ansiosas por estarmos crescendo sendo cada vez mais o que, hoje, somos.

Mil beijos,

Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 3 min
grl pwr

Vou dizer, ou escrever, que é um grande desafio pensar em um post para o Dia Internacional da Mulher – sem cair nos clichês com os quais já estamos pra lá de acostumadas. Acho que podemos começar com um parabéns? Parabéns por este dia. Espero que ao menos hoje, você tenha reservado um tempinho para você fazer algo por você – se não, ainda dá tempo!

Como nós todas bem sabemos, o Dia da Mulher não é somente flores e celebrações de feminilidade, mas uma lembrança de todo o caminho que ainda nos falta percorrer para conseguir igualdade, mesmo depois de 40 anos da sua criação. 8 de março foi definido como tal pela ONU, em 1975, e tem origem em manifestações de mulheres russas por melhores condições de vida e de trabalho.

E não é preciso muita pesquisa pelos relatórios por aí para perceber que nos encontramos muito longe de uma situação atual, apesar dos diversos progressos. Segundo o Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas, o número de empreendedoras cresceu 21,4%. O de homens cresceu 9,8% no mesmo período.

O mesmo anuário mostra que mulheres que estão montando o seu próprio negócio são bastante jovens: 41,3% têm entre 18 e 39 anos e 52% têm entre 40 e 64 anos. Cerca de 40% delas são chefes de família, sendo que a maioria (70%) tem ao menos um filho. Por outro, o salário das mulheres equivale a 73,6% do rendimento médio recebido por homens: R$ 1.614,95 contra R$ 2.195,30, segundo pesquisa do IBGE de 2013.

Esse mesmo cenário que mostra pequenos avanços, prova também que não vivemos em um mundo feminista, ou sequer igualitário. Essa desigualdade não parece tão notável em nosso dia-a-dia, pois estamos bem acostumadas com o que sempre nos foi dito.

Por aqui a gente se considera meninas de sorte nesse sentido, já que sempre fomos incentivadas pela nossa família, principalmente quando falamos do sonho de abrir nosso próprio negócio.

Fomos criadas para conquistar a nossa independência e estamos rodeadas de exemplos de mulheres que a alcançaram. Lutamos pelo nosso próprio dinheiro, trabalhamos – e muito – nos fins de semana e arrumar a casa ou cozinhar estão nos últimos itens de prioridade.

Hoje, o nosso desejo é que todo mundo seja um pouco mais feminista. Afinal, o feminismo por definição, objetiva os direitos iguais a partir da libertação de padrões opressores baseados em normas de gêneros. Descomplicando: igualdade entre homens e mulheres. Se o mundo fosse feminista, as mulheres não receberiam menos que o homem, exercendo o mesmo cargo. Também não se sentiriam intimidadas a se tornarem donas do seu próprio nariz, só porque “os caras não curtem as independentes”. Teriam filhos e, naturalmente, não seriam desencorajadas a continuarem crescendo profissionalmente. Teríamos mais líderes e, sem dúvidas, seríamos mais unidas.

Mudanças podem ser delicadas, mas são bem-vindas. Neste caso são particularmente necessárias e urgentes. Afinal de contas, você sempre teve poder, acontece que nesse mundo, nós temos que aprender a perceber por nós mesmas.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 2 min
thumb_DSC_0762_1024

Está terminando mais um ano. Como foi 2016 para você? Quais foram as suas realizações? Alcançou todas as metas planejadas até agora? Se não, que tal já conseguir traçar as do ano seguinte com alguns passos simples?

1° passo: Liste todas as suas metas.

2° passo: Estipule um prazo para todas elas. Fica muito mais fácil atingi-las quando estabelecemos um tempo para serem alcançadas. Exemplo: abril/2017 ou 4 meses.

3° passo: Pense em cada uma, e se elas são específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais.

O que é ser específico? É não colocar uma meta genérica. Por exemplo: ser um profissional bem sucedido ou ser feliz. É colocar exatamente o que você quer conquistar. Exemplo: inglês avançado. E mensurável é você ter capacidade de medir o alcance da meta. Tendo como exemplo: para medir o conhecimento avançado nesse idioma você pode fazer uma prova em instituição internacional que comprovará o seu nível.

O que é ser alcançável? Para uma grande meta ser atingida, é necessário realizar submetas, que são aquelas menores. E uma vez não cumpridas, a grande meta não virá. Exemplo: para ter inglês avançado, pode ser necessário estudar 1 hora por dia, assistir filmes em inglês e fazer um curso presencialmente (2 horas por semana). Também é importante avaliar se as submetas dependem do seu próprio esforço. Pois quando necessitam de terceiros, fica mais difícil conquistar a meta principal…

E o que é ser relevante? É identificar o que vai te motivar para conquistar dia após dia execução dessas submetas. Qual o propósito de ir em busca da realização da grande meta? Exemplo: ter inglês avançado vai abrir as portas em empresas multinacionais. E o temporal já comentamos no 2° passo. É muito importante estipular um período para a conquista da meta.

Esperamos que você alcance tudo o que planejar em 2017 e que tenhamos um ano lindo pela frente!

Mil beijos, Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 1 min
1

Aqui a gente sempre quis trabalhar com algo que fizesse o nosso coração bater mais forte. Notamos que isso é muito comum dentro da nossa geração… A busca por um propósito, por fazer a diferença, querendo acima de tudo curtir o caminho e não buscar por conforto apenas no final. Até porque o conforto precisa estar presente sempre, e não existe tranquilidade maior do que fazer o que se ama.

E se pensarmos na pequena história da Dressy até aqui, parece que tudo aconteceu exatamente do jeitinho que tinha que ser… Inclusive o que não deu certo, hoje ao olharmos para trás vemos como tudo nos ajudou a construir algo que fizesse sentido.

Afinal, quem gosta de empreender sabe que não tem nada como fazer do nosso jeito. É muito difícil sim, e todos os dias aparecem problemas para nos tirar o sono. Mas no meio de toda essa loucura, o elogio de alguém faz cada noite perdida valer a pena.

E o nosso um mês nos inspirou a escrever esse post. E com isso compartilhar com você um pouco do que aprendemos até o momento. Vem dar uma olhada:

  1. Planejamento e organização, sempre.

Isso é um dos aprendizados que só nos demos conta agora, depois do lançamento. Primeiro de tudo é que precisamos separar uma rotina, com atividades diárias, semanais, quinzenais e mensais. Dessa forma nossas atividades ficam a cada semana que passa mais sistematizadas.

Listas… Temos diversas em cima da mesa de trabalho. Mas já aprendemos que somente elas não são suficientes. Hoje, todos os dias separamos as atividades que são prioridade para determinado dia. O trabalho não fica de qualidade se não for dessa forma, porque sempre queremos abraçar o mundo. E também é inviável lembrar de tudo com tamanha a empolgação e informação acumulada.

Outra dica de organização e planejamento é estabelecer o horário de início e de fim de cada tarefa. Isso evita ficar pulando de uma para a outra, sem terminar nada. Além de aumentar o controle e produtividade.

  1. Críticas…

Este é um desafio diário. Sempre queremos saber o que os outros pensam de nós, mas na maioria das vezes a empolgação acaba a partir do momento que a opinião não é positiva. Empresas do mundo todo pagam para receber o famoso feedback, logo, é necessário saber dar valor para os amigos e clientes que estão dispostos a gastar um pouquinho de tempo querendo dar o mesmo de graça 😉

Sem contar que com isso podem surgir sugestões valiosas. Aprendemos como lidar com as mesmas um pouco a cada dia que passa, e com certeza, ainda temos muito o que melhorar.

  1. Empreender é para os fortes.

Empreender é sair todos os dias da sua zona de conforto. É para quem sabe lidar com a montanha-russa de emoções que é abrir uma empresa. É para quem aguenta viver no meio de incertezas. Portanto, no meio disso, uma certeza é, empreender te traz uma maturidade única. E o nosso um mês no ar, mais parece um ano!

É necessário força para resolver um problema atrás do outro, e para de alguma forma conseguir “desligar” uma vez ou outra. Afinal, empreender é basicamente, a busca por um sonho. E normalmente nós não conseguimos e não queremos desligar os sonhos… Mas para manter a sanidade, as amizades e a saúde é necessário.

E também como você já deve ter lido por aí, não tem nada de glamouroso – nem trabalhando com moda. O empreendedor no início tem que fazer de tudo – mesmo! No nosso caso, passar e carregar roupas, cadastrar produtos e etiquetar, tirar fotos, escrever posts, realizar vendas… E a lista só continua. E não pense você que estamos reclamando, o suor escorre sim muitas vezes, mas sempre seguido do sorriso de missão cumprida.

Logo, se empreender é o seu sonho, vá a luta. E enjoy the ride!

Portanto, com tudo isso qual o sentimento que fica? Felicidade. Nesse turbilhão de emoções que envolve o início de uma empresa, queremos é aproveitar tudo que já está acontecendo e cada vez mais nos preparar para tudo que está por vir.

E o melhor ainda vai ser aproveitar tudo isso com você.

Mil beijos, Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 3 min

Como já falamos para você, a Dressy surgiu aos poucos, movida pelo desejo de oferecer roupas que facilitem o seu dia-a-dia. A nossa missão é compartilhar peças que ajudem sua busca por um estilo próprio, e que, sejam capazes de proporcionar bons momentos e boas lembranças.

E em especial, queremos ver nossas peças por aí sempre acompanhadas de um belo sorriso no rosto. Role a página para ver um pouquinho do que selecionamos e que hoje apresentamos com muito carinho e amor para você…

DSC_0102 DSC_0112 DSC_0142 DSC_0191 DSC_0222 DSC_0236 DSC_0252 DSC_0307 DSC_0312 DSC_0383 DSC_0402 DSC_0425 DSC_0481 DSC_0506 DSC_0775 DSC_0954

Hoje é o início do nosso sonho, que seria apenas um sonho, se não fossem muitos planos, vontades e pessoas que nele acreditaram. E para comemorar essa data, vamos receber quem tiver interesse hoje à tarde, a partir das 15h, no Hang Out Coffe Spot (link do Insta). Esperamos você para brindar conosco essa história que está somente começando!

Ah, não vai conseguir ir? Não tem problema, vem falar com a gente, porque a partir de hoje nossas vendas estão abertas. Estaremos atendendo a domicílio na Grande Florianópolis e enviamos através dos Correios para todo o Brasil.

Mil beijos, Fernanda e Paula.

Compartilhar:
Tempo de leitura: 1 min
Page 1 of 212